Apenas dois deputados votaram contra o projeto de suspensão por três anos da dívida do Rio Grande do Sul com a União. A proposta, aprovada no Senado nessa quarta-feira (15), passou na Câmara com o apoio de 404 deputados. Únicos a registrar voto contra a medida, Eros Biondini (PL-MG) e Stélio Dener (Republicanos-RR) foram às redes sociais ontem para se justificar. Os dois disseram que se equivocaram no momento do voto e pediram desculpas aos gaúchos. Também declararam que solicitaram a mudança de seus votos à Mesa Diretora da Câmara.

“Errar faz parte da natureza humana, e reconhecer o erro faz parte da dignidade de cada pessoa. Ontem eu me equivoquei na hora da votação que tratava justamente da suspensão da dívida do Rio Grande do Sul. Apertei a opção trocada e quando fui corrigir já havia se encerrado a votação. Fiz a correção do voto na mesa da Câmara e me desculpo publicamente, já que jamais qualquer um de nós votaria contra o nosso estado Rio Grande. Sou muito cuidadoso e minucioso na hora das votações, mas dessa vez me confundi e votei contrário ao que queria votar. Graças a Deus só eu errei, e portanto isso não prejudicou o resultado. Aos meus irmãos gaúchos todo meu carinho, respeito, apoio e oração. Perdão!”, publicou Eros Biondini em suas redes sociais.

Stélio Dener, por sua vez, declarou que houve uma falha de interpretação em relação à orientação de seu partido. Ele afirmou que, como o Republicanos havia fechado questão na votação anterior, acreditou que a recomendação também seria válida para a votação do projeto a respeito da dívida do RS. “Ressalto que a referida falha não interferiu no resultado final da aprovação do PLP 85/2024. Mesmo assim peço desculpas a todos e reafirmo o meu compromisso e solidariedade com o Estado do Rio Grande do Sul e todos os gaúchos e pessoas afetadas com esta terrível tragédia climática!”, declarou.

A proposta apresentada pelo governo Lula é uma alternativa para aliviar os cofres do estado devido às chuvas recentes que mataram 151 pessoas e deixaram 806 feridas e outras 104 desaparecidas. O projeto libera ainda cerca de R$ 11 bilhões para ações de reconstrução após as recentes chuvas. O texto foi aprovado de forma unânime no Senado e aguarda sanção do presidente Lula.

O estoque da dívida do Rio Grande do Sul com a União beira os R$ 100 bilhões. Atualmente, o estado tenta lidar com a calamidade pública por causa das chuvas. O projeto se estende a todos os estados e municípios em situações de calamidade pública causadas por eventos climáticos extremos. A suspensão da dívida pode ser integral ou parcial. Os recursos das parcelas suspensas devem ser destinados a investimentos em ações de enfrentamento e mitigação dos danos causados por desastres.

Veja as manifestações de Eros e Stélio nas redes:

CONGRESSO EM FOCO

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.