A 1ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho aumentou de R$ 10 mil para R$ 40 mil a indenização para um trabalhador, que perdeu a visão do olho esquerdo e a força da mão direita ao sofrer acidente numa máquina de polir peças em indústria de móveis de Maringá (PR).

Imagem relacionada

O trabalhador relatou que usava luvas velhas e impregnadas de substâncias que as tornavam escorregadias e inseguras, como sebo animal e parafina, aplicados na peça a ser polida. Ele disse que pediu luvas novas e não foi atendido, ele também não recebia equipamentos de proteção (capacete e viseira) que poderiam ter evitado o dano.

Sentença - A decisão foi unânime e considerou que os critérios adotados pelas instâncias inferiores, para a fixação do valor da indenização, foram subdimensionados. O cálculo leva em conta critérios como gravidade do acidente, conduta e capacidade econômica da empresa, extensão do dano e caráter punitivo e pedagógico da condenação.

                    

Fonte: Agência Sindical, 31 de agosto de 2017