Por Estevão Taiar, Valor — São Paulo

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) caiu 0,43% em maio, na comparação dessazonalizada com abril, conforme divulgado hoje pela autoridade monetária. Em abril, o indicador teve alta de 0,85% (dado revisado de alta de 0,44%).

O resultado de maio veio abaixo da mediana das estimativas colhidas pelo Valor Data, de alta de 1,1%. As estimativas iam de queda de 0,6% a alta de 1,65%.

Em relação a maio do ano passado, por sua vez, houve alta de 14,21%. Já no acumulado de 12 meses até maio, o IBC-Br subiu 1,07%. Devido às constantes revisões, o indicador acumulado em 12 meses é mais estável do que a medição mensal.

Por sua vez, no acumulado do ano até maio, na comparação com o mesmo período de 2020, o índice subiu 6,6%. Por fim, na média móvel trimestral, usada para captar tendências, o IBC-Br teve queda de 0,54% em relação aos três meses encerrados em abril.

O comportamento do indicador em maio foi influenciado por altas de 1,4% da produção industrial, 1,2% na prestação de serviços e 1,4% das vendas do varejo restrito (3,8% do varejo ampliado, que inclui as vendas de veículos, motos, partes e peças e de material de construção).

O IBC-Br tem metodologia de cálculo distinta das contas nacionais calculadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O indicador do BC, de frequência mensal, permite acompanhamento mais frequente da evolução da atividade econômica, enquanto o Produto Interno Bruto (PIB) de frequência trimestral, descreve um quadro mais abrangente da economia.

(Conteúdo publicado originalmente no Valor PRO, serviço de notícias em tempo real do Valor)

Valor Investe

https://valorinveste.globo.com/mercados/brasil-e-politica/noticia/2021/07/14/atividade-economica-medida-pelo-ibc-br-cai-em-maio-e-surpreende-negativamente.ghtml