Humilhação

Xingamentos e ofensas foram confirmados por testemunha.

Uma trabalhadora que foi xingada e ofendida em ambiente de trabalho, na frente de outros colaboradores, será indenizada por danos morais. Assim decidiu a juíza do Trabalho Substituta Marcia Sayori Ishirugi, da da 12ª vara do Trabalho de SP - Zona Leste.


A autora trabalhava em uma confecção e pleiteou indenização por danos morais pela postura de sua encarregada. Segundo a autora, ela sofreu ofensas do mais baixo calão na frente de outros colaboradores. Disse que sua superior "xingava todo mundo" e falava "todos os palavrões que se possa imaginar". Em depoimento, disse que ela falava coisas como "caralh*, porr*, não dava para o marido de noite, mandava tomar no c*, burra, lá quem mandava era ela, tinham que fazer o que ela mandava".

As ofensas foram confirmadas por prova testemunhal. Leia trecho de depoimento da testemunha: "Chamava de burra, cara de periquito. Fazia isso gritando. Também dizia "put*, arrombad*, aqui quem manda sou eu. (...) Dizia alto para todo mundo escutar."

A juíza considerou que "a dor, a tristeza e o desconforto decorrentes da conduta da preposta da reclamada são presumidos, prescindindo de comprovação em juízo, pois se passam no interior da personalidade e existem "in re ipsa".

Comprovado o ato ilícito, o dano e o nexo, a empresa foi condenada a indenizar em R$ 5 mil.

O escritório Tadim Neves Advocacia representa a trabalhadora.

Processo: 1000834-79.2021.5.02.0612
Leia a sentença.

https://www.migalhas.com.br/arquivos/2022/1/F5EEABC3DD2D34_sentenca2ofensas.pdf

_____________

Por: Redação do Migalhas

https://www.migalhas.com.br/quentes/358589/trabalhadora-xingada-por-superior-sera-indenizada-por-danos-morais